Como o coronavírus pode afetar as pizzarias?

Um vírus que está contaminando o mundo todo chegou ao Brasil em meados de fevereiro, fazendo com que os cuidados com a saúde se tornassem dobrados, para evitar a proliferação do COVID-19. Pensando nisso, a OSM (Organização Mundial de Saúde) decretou algumas ordens para as pessoas para que não ocorra uma contaminação em massa, a quarentena.

A quarentena seria 40 dias dentro de nossas casas, evitando qualquer tipo de contato com as pessoas do lado de fora. Nesse caso, é impossível ficar 40 dias dentro de casa, já que temos diversas situações em que precisamos sair para a rua e resolver, mas precisamos fazer o que for preciso para que não haja a possibilidade de mais pessoas contaminadas.

Muitas empresas acabaram optando pela rotina home office, fazendo com que seus funcionários trabalhem de casa e facilitando a quarentena. Todos nós sabemos que o transporte público é um dos meios mais fáceis de ser transmitido e disseminado qualquer tipo de vírus. No home office isso fica mais controlado, já que você não precisa pegar o transporte público para ir ao trabalho.

Outro ponto dessa pandemia são os chamados “grupos de risco”, pessoas com algumas complicações que devem tomar ainda mais cuidado para não contrair o COVID-19. As pessoas que estão no grupo de risco incluem idosos acima de 60 anos, pessoas com problemas respiratórios e outras complicações. Para os idosos, é bem difícil ficar na quarentena, mas é preciso. Seguir as recomendações nesse momento é crucial.

As pizzarias, diante dessa pandemia, tiveram um aumento considerável de pedidos, fazendo com que aumentassem as suas vendas por conta da quantidade de pessoas que estão evitando sair de casa. Tanto as pizzarias de bairro quanto os restaurantes estão trabalhando em ritmo apenas de fast-food, facilitando para as pessoas na quarentena.

Em casos como esse, o aumento é favorável para as pizzarias, pois a demanda de serviço vem sendo maior que o esperado, e o número de pedidos aumenta bastante com as pessoas dentro de casa. Pensando nisso, as pizzarias menores tendem a disputar mais território com os serviços de aplicativo, além de algumas acharem melhor colocar até o seu estabelecimento nos aplicativos, para ter uma demanda ainda maior.

De fato, os aplicativos têm se tornado um forte aliado em alguns casos. Nesse caso de pandemia nacional, as pessoas costumam fazer pedidos diretamente por esses aplicativos, pois, em alguns casos, eles facilitam a forma de pagamento e a segurança na entrega.

Muitas pizzarias estão fazendo o possível para que os dois lados saiam ganhando nessa quarentena: redução de alguns recursos como taxa de entrega é uma das opções estabelecidas. Com isso, a pizzaria ganha em seu número de pedidos, que aumentou, e o cliente ganha um certo desconto em seu pedido. Os dois lados ganham.

Dessa forma, por mais que a situação não seja tão favorável, um lado precisa ajudar o outro para que possamos passar por essa fase sem algum dano grave na economia. Por fim, é sempre bom lembrar que, ao receber alguma entrega, é importante que se lave as mãos com água e sabão e, se possível, passe um álcool em gel para garantir a limpeza.